LIVE FROM THE OCCUPATIONS OF NEW YORK CITY

OccupyWallStreet.net is brought to you by the NYC General Assembly to provide news, information and inspiration from the occupations of Wall Street and around the world.

 

Get SMS Updates: text "@NYCAction" for announcements & "@NYC2Ferguson" for updates to 23559

Occupy Rio+20 Publishes Open Source Imperative

Occupy the Earth

The following statement will be presented by the Earth Summit WG to the United Nations as a participating group in the Rio+20 conference in Brasil.

The Open Source Imperative

Hello World, We Who Occupy The Earth thank the UN for supporting civil society through granting us "interested party" status in Rio +20's drafting process. Humanity's Elders (The Kogi, The Hopi, The Council of Grandmothers) warn Mother Earth is in critical condition, our scientists confirm the life systems are collapsing, our economists predict the next market crash coming soon. But for the first time, a truly global institution recognizes what civil society has been perpetually assaulted for voicing – the global governing system is broken. We respond directly to UN Under- Secretary General (USG) Achim Steiner's appeal to activists June 6th with a real solution:

Open Source Everything

What does Open Source Everything mean to the UN?: Principle 10 of the Rio Declaration on Sustainable Development (RDSD) empowers The 99% with deep participation in the United Nations:

Environmental issues are best handled with the participation of all concerned citizens, at the relevant level... each individual shall have appropriate access to information concerning the environment that is held by public authorities...

Since the last Earth Summit, humanity has mastered the open communications systems, information technology and software to enable global collaboration, participation and innovation. As Marshall McLuhan predicted, today's living generations are birthing one of the greatest social transformations in history — the shift from the Industrial Age to the Age of Shared Wisdom and Innovation. The Internet and associated technologies form an evolutionary system for the human race, encompassing the tools and diverse traditions to harness a holistic and resilient approach to build future civilization.

Considering Principle 10 beyond the failing social-ecological systems and the explosive capacity for collaborative problem solving through The Internet, it is not only imperative, logical, and exciting for the UN to adopt an Open Source agenda, it is a duty of the UN by it's own measure. An Open Source agenda would cure the nearly terminal disease of corporate and financial takeover plaguing the UN negotiations and corrupting otherwise progressive measures in the Zero Draft Outcome Document. Such an agenda would protect the assaulted global civil society, endangered indigenous culture, and living spiritual traditions that can provide unshakable security and guidance during this uncertain transition. Such an agenda enhances essential ingredients to a viable future: harmony with nature, cultural preservation, grass roots decision making, free innovation, and an ever unifying humanity.

Open Source Culture is central to the Founding Occupy Principles of Solidarity: "Making technologies, knowledge, and culture open to all to freely access, create, modify, and distribute." As the UN harmonizes with this principle, civil society can better harmonize with the UN. The time is now.

The Open Source Imperative Addresses Key Parts of the Rio +20 People's Petition

1. A direct participatory democratic UN: with inclusive rights-based global decision-making; open-source communications that prioritize youth, women, marginalized voices & civil society formally in negotiations

10. Indicators beyond GDP: that measure wellbeing, participation, environmental health, socio-economic equity, gender equality, employment, provision for needs/services, protection of rights, & peace

A First Step to the Open Source Imperative Includes

  • Support for the free and global open source internet/communication infrastructure - e.g.: The Free Network Foundation, FabFi, FreedomBox
  • Support and protection of the cultural, health, science and creative commons – e.g. UNESCO Language Preservation, Project Halo
  • Support of global open source collaboration and innovation systems - e.g. Bettermeans, FabLab, HUB
  • Support adoption of open governance goals, standards and technology- e.g. Iceland's Crowdsourced Constitution, The Open Government Platform
  • Support adoption of open source alternative currencies - e. g. Bitcoin, Cirandas (Brazilian Federation of Solidarity Economy)
  • Support of open source sustainable community tools - e.g.Open Source Ecology, Windofarms, Appropedia
  • Support of open source civil infrastructure - e.g:smart energy grid systems, smart public transportation systems, municipal fiber optics
  • Support of open data and open data exchange standards - e.g: Happy Planet Index, Green GDP, Web 3.0
  • Support of open source global standards for labeling and crop seeds - e.g: Navdanya International
  • Support of free and open source education systems, classes and courses – e.g.: Bahá'í Institute for Higher Education, Barefoot College, MITx, The Hawn Foundation

The Open Source Imperative is supported by the foundation of a Truly Free Network and Education. We Who Occupy The Earth have the divine right to freely communicate and share our global knowledge and wisdom as participants in the evolutionary process of civilization. The suppression and corruption of these rights have set us on a path to ecological and social catastrophe, and ultimately obscured precious human capacities. The protection of these rights shall enrich the global commons and provide the first steps into the real solution detailed at OccupyTheEarth.net.

We Who Occupy The Earth commend the UN for its unparalleled inclusivity and (USG) Achim Steiner for his bravery and candor. Rio +20 is an opportunity to spark the much needed solidarity between the global individuals, civil society and institutions for life. The youth today exemplify a commitment to life. With the willing elders, both can now build a future of dignity for humanity. Together we shall pioneer the depths of human ingenuity necessary for a successful transition from the obsolete methods of the Industrial Age into a world of Shared Knowledge and Wisdom. The survival and liberation of billions of our oppressed brothers and sisters depend on it.

We look forward to world leaders participating with the Open Source Imperative, and pray all involved in Rio +20 be endowed with foresight, courage and self-sacrifice for the sanctity of life and it's Unknowable Essence, Who's rare gift, The Earth, we must remember we do not own, but borrow from generations to come. May They support any uncertain souls in overcoming fear and chaos to join in the ushering of The Great Transformation, in finding victory in crisis, in bearing the glimmers of a New Civilization that is unifying with justice, and in radically expanding the frontiers of human capability.

- Occupy The Earth -


O Imperativo do Código Aberto

Olá Mundo, Nós Que Ocupamos O Planeta Terra agradecemos as Nações Unidas pelo convite para participarmos da Rio +20 como parte interessada. Muito obrigado. Os Anciões da Humanidade (Kogi, os Hopi, o Conselho das Avós) já nos avisaram que a Mãe Terra, nossa morada, está em condições críticas. Cientistas confirmam ecosistemas em colapso, enquanto economistas insistem em soluções que consistentemente falharam. Apesar desse quadro, pela primeira vez na história uma institutição global como a ONU reconhece a voz que vem atualmente denunciando – e sendo por isso atacada nas ruas – o sistema geopolítico e econômico do Espetáculo e Biopoder. Uma hegemônia opressiva, injusta, e necrofílica. Nós estamos respondendo ao corajoso chamado à ação do Sub-Secretário Geral da ONU Achim Steiner do dia 6 de Junho e trazemos a esse encontro não uma resolução, mas uma das soluções:

TUDO em Código Aberto

Afinal, o que Código Aberto significa para as Nações Unidas e povos do mundo?: No Princípio 10 da Declaração do Rio sobre o Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente podemos observar garantias à participação direta nas Nações Unidas e demais instâncias de poder. O 99%, que foi extirpado de vida e liberdade, vem retomar esse espaço. O princípio 10 nos garante um lugar em comunhão, espaço de ninguém e de todos:

O melhor modo de tratar as questões ambientais é com a participação de todos os cidadãos interessados, nos níveis relevantes (...)' 'toda pessoa deverá ter acesso adequado à informação sobre o meio ambiente de que dispõem as autoridades públicas

Desde a última Cúpula da Terra, a humanidade conseguiu dominar a tecnologia dos sistemas abertos de comunicação, tecnologia da informação, e softwares para abrir o espaço para uma participação, inovação e colaboração global. Como Marshall McLuhan previu, as gerações atuais estão produzindo uma importante transição histórica: a passagem da Era Industrial para a Era da Sabedoria Compartilhada e Inovação (Era da Informação), onde compartilhar e compartilhável são aspectos fundamentais. A internet e tecnologias associadas formam um sistema evolucionário para a raça humana, uma rede rizomática epineural capaz de conectar e abarcar as diversas tradicões e povos de maneira holística e resiliente, para que possam juntas construir o futuro.

Considerando o Princípio 10 da Declaração do Rio além de suas implicações socio-ambientais, e contextualizando o poder de cooperação e colaboração possibilitado pela Internet, podemos concluir que uma Agenda do Código Aberto não é apenas um ponto de interesse estratégico: trata-se de um imperativo previsto nos próprios documentos ratificados pela ONU. A Declaração do Rioestá alinhada com os fluxos históricos que marcam a virada do século, trazendo poesia e esperança em tempos de incerteza, esterilidade cultural e nihilismo político.

Uma Agenda Código Aberto tratará os mecanismos patológicos que ferem o corpo democrático, i.e. infiltração de interesses financeirose corporativos nas negociações entre nações e povos. Interesses que acabam por corromper várias medidas progressistas da Agenda 21. A Cultura do Código Aberto ajudará a proteger a sociedade civil, as poucas remanescentes culturas indígenas, e as tradições espirituais que nos oferecem guia para atravessar nossos momentos de indefinição e desamparo. Tal agenda acrescenta muito aos ingredientes fundamentais de um futuro viável: harmonia com a natureza, preservação de patrimônios culturais, decisões em nível local, inovações com livre acesso a todos, humanidade em gradativa união.

A Cultura do Código Aberto é central para os princípios de Solidariedade do Ocupa: "criar tecnologias, conhecimento, e cultura abertos a todos para que todos possam livremente acessar, criar, modificar, e distribuir". Na medida em que a ONU harmoniza-se com esse princípio, a sociedade civil harmonizará melhor com a ONU, pois essa é a música do nosso tempo. O momento é agora.

O Imperativo do Codigo Aberto diz respeito a partes crucias da 'Petição dos Povos' da Rio +20:

1. Democracia direta e participativa na ONU: com meios de decisão global inclusivos e baseados em direito; comunicações Código Aberto que priorizem nas negociações formais jovens, mulheres, vozes marginalizadas e sociedade civil.

10. Indicadores além do GDP: que buscam medir bem-estar, participação, saúde ambiental, equidade socio-economica, igualdade entre gêneros, emprego, provisão de necessidades e serviços, proteção dos direitos garantidos & paz.

Primeiros Passos Para o Imperativo Código Aberto Incluem:

  • Apoio a infraestrutura do Código Aberto em comunicações/internet, livre e global – e.g.: The Free Network Foundation, FabFi, FreedomBox
  • Apoio e proteção ao comum (commons): cultural, saúde, científico e criativo. – e.g.UNESCO Language Preservation, Project Halo
  • Apoio a sistemas globais de colaboração e inovação em Código Aberto – e.g. Bettermeans, FabLab, HUB
  • Apoio a adoção de princípios de governância Código Aberto – e.g. Constituição 'Crowdsourced'da Islandia; A Plataforma de Governo Aberta
  • Apoio a adoção de câmbios alternativos em Código Aberto – e.g. Bitcoin, Cirandas (Brazilian Federation of Solidarity Economy)
  • Apoio a ferramentas sustentáveis comunitárias Código Aberto – e.g.Open Source Ecology, Windofarms, Appropedia
  • Apoio a infraestrutura civil em Código Aberto - e.g: redes 'inteligentes' de energia, sistemas de transporte público 'inteligentes', fibras ópticas municipais.
  • Apoio a padrões de troca de dados e livre acesso a informação – e.g: Happy Planet Index, Green GDP, Web 3.0
  • Apoio a padrões globais Código Aberto para demarcar sementes – e.g: Navdanya International
  • Apoio a sistemas educacionais Código Aberto, com livre acesso a cursos, salas de aula e conhecimento academico. – e.g.: Bahá'í Institute for Higher Education, Barefoot College, MITx, The Hawn Foundation

O Imperativo do Código Aberto é apoiado em educação e redes realmente livres. Nós que Ocupamos a Terra temos o direito divino de comunicar e compartilhar nosso conhecimento global e sabedoria como participantes no processo evolucionário humano. A supressão e corrupção desses direitos colocaram o planeta rumo a catástrofes sociais e ecológicas, obscureceram preciosas capacidades humanas – a proteção desses direitos enriquecerá a comunalidade global e proverá os primeiros passos de uma trajetória que é melhor detalhada no sítio OccupyTheEarth.net.

Nós que Ocupamos a Terra parabenizamos a ONU pela inclusividade histórica e ao Sub-Secretário Achim Steiner pela sua coragem e candor. A Rio+20 é uma oportunidade para acender a chama da solidariedade global entre indivíduos, movimentos sociais e instituições. A juventude de hoje representa um compromisso com a vida: juntamente com os anciões, tem o potencial de construir um futuro de dignidade para todos. Seremos exploradores da inventividade humana, buscando passagem dos métodos obsoletos da Era Industrial para a Era do Conhecimento e Sabedoria (compartilhados). A sobrevivência e liberação de bilhões dependem disso.

Em troca extendemos um convite para os líderes mundiais participarem do Imperativo e seus horizontes, e oramos para que os envolvidos nesse evento histórico recebam a necessária visão, coragem, e auto-sacrifício na luta pela sacralidade da vida. Que possamos entender a Essência Incognoscível, cuja maior dádiva – o Planeta Terra – nós não possuímos, apenas emprestamos das gerações futuras. Que todas as almas perdidas e incertas no difícil trabalho de superar medos juntem-se a corrente da Grande Transformação; achem vitória nas crises, e ajudem a anunciar o brilho frágil dessa Nova Civilização que une-se em busca de justiça enquanto expande as fronteiras do que é ser humano.

- Ocupe a Terra -

Share +